sábado, 23 de julho de 2011

Infecção congênita por CMV Sintomática nos recém-nascidos

Quais são as Sequelas no bebê com infecção congênita por CMV Sintomática?
 Os recém-nascidos infectados com CMV congênita e que apresentam sintomas no nascimento são chamados de "sintomáticos", e representam a minoria, cerca de 10%, das crianças afetadas por infecção congênita por CMV.

Os sintomas atribuídos à infecção congênita por CMV incluem:
  • O tamanho pequeno para a idade gestacional,
  • Aumento do fígado (a hepatoesplenomegalia é um dos achados mais constantes, ocorrendo em cerca de 60% dos casos sintomáticos),
  • Aumento do baço, 
  • Icterícia ou a cor amarela da pele e
  • Lesões de pele conhecidas como "petéquias ou púrpura".

Além disso,poderão ter sequelas neurológicas como:
  • Microcefalia,
  • Crises convulsivas,
  • Retardo no desenvolvimento neuromotor, 
  • Coriorretinite e 
  • Calcificações cerebrais.

Problemas com:
  • Audição,
  • Visão, 
  • Nutrição, 
  • Crescimento, 
  • Cognição, 
  • Aprendizagem motora e
  • Tônus ​​muscular são muito mais comuns em crianças nascidas com CMV congênita sintomática.

As alterações neurológicas mais frequentemente observadas são microcefalia (53%), letargia-hipotonia (27%), diminuição do reflexo de sucção (19%) e convulsões (7%).  

Das crianças assintomáticas, 10 a 15% têm alterações tardias, como a surdez e graus variáveis de lesões neurológicas.

Cerca de 75% dessas crianças terão sinais de comprometimento cerebral e vai experimentar grandes desafios à medida que crescem, no entanto, cerca de 25% não terá nenhum envolvimento cerebral ou menor ao nascer, e terão crescimento e desenvolvimento normais. Além disso, no útero e terapia neonatal precoce pode melhorar a audição e os resultados do desenvolvimento dessas crianças. Mesmo as crianças com deficiências graves e necessidades especiais vão viver a vida adulta.